#FEMSmicroBlog: 17 de setembro é o Dia Internacional do Microrganismo. Mas por que dia 17 de setembro?

21-09-2020

O Dia Internacional do Microrganismo de 2020 acontece em 17 de setembro e existe um motivo especial para que seja nessa data. Descubra nesse novo post do #FEMSmicroBlog o que a data 17 de setembro tem a ver com “pequenos animais” presentes no canal de Delft (na Holanda), bactérias no dente, uma carta à Royal Society em Londres, arte com microrganismos e mais! #MicrobiologyIsEverywhere

*To the original English version: #FEMSmicroBlog: 17 September is International Microorganism Day. But why 17 September?*

Da Microbiologia, passando pela microscopia, a zoologia e o estudo dos seres que não podem ser vistos ao olho nu, todas essas áreas reconhecem o comerciante holandês Antonie van Leeuwenhoek (1623-1723) como pioneiro, pai fundador. Ele não tinha nenhum treinamento científico e baixa escolaridade, mas tinha uma curiosidade insaciável. Ele utilizou lentes caseiras e microscópios desenvolvidos por ele mesmo para examinar todo o tipo de coisa em detalhes, incluindo abelhas, grãos de pimenta, piolhos e fungos. Em 1677, enquanto examinava a água coletada de um canal em seu microscópio, ele ficou admirado ao ver o que ele chamou de pequenos animais ou “animalcules” (literalmente “pequenos animais”, os quais hoje são classificados como protistas), sendo estes os primeiros microrganismos observados.

Embora não tenha sido o primeiro a usar um microscópio, suas lentes eram superiores a todos as outras utilizadas anteriormente, sendo capazes de promover um aumento de cerca de 300 vezes, o que o permitiu observar detalhes na escala de 1,35 μm (aumento 5 – 6 vezes maior do que o microscópio usado por seu contemporâneo, Robert Hooke).

Uma réplica moderna do microscópio de van Leeuwenhoek, no qual o pequeno círculo à esquerda corresponde à lente.

Em 1683, van Leeuwenhoek observou ao microscópio sua própria placa dental. Nesta ocasião ele fez a sua segunda grande descoberta, ao descrever os diferentes movimentos que os “animalcules” faziam na placa presente entre seus dentes, se tornando a primeira pessoa a observar as bactérias. Como um pesquisador aplicado, ele fez descrições detalhadas, medições e ilustrações de suas observações. Muitas dessas observações resistiram ao tempo e são incrivelmente detalhadas.

“[…] meu trabalho não foi realizado para obter a consagração da qual agora desfruto, mas principalmente para saciar minha ânsia por conhecimento, a qual noto que reside em mim mais do que na maioria dos outros homens. E sempre que descobri algo notável, pensei ser meu dever colocar minha descoberta no papel para que todas as pessoas interessadas pudessem também ser informadas.”

— Antonie van Leeuwenhoek (1632-1723)

Van Leeuwenhoek então enviou uma carta repleta de suas observações, descrevendo o que ele tinha visto pela primeira vez na história, para a Royal Society em Londres. Movido pela sua curiosidade, ele esperava que pessoas igualmente curiosas achassem suas observações interessantes. Talvez essas descobertas também lhe rendessem um lugar na história como um dos pioneiros do mundo microscópico. Esta importante carta foi datada em 17 de setembro, um acontecimento digno de memória e comemoração.

Uma das ilustrações de van Leeuwenhoek, incluindo o movimento das bactérias (C-D). ©Royal Society

Mas a sua carta anunciando sua descoberta causou grande desconfiança na Royal Society e muitos membros recusaram-se a acreditar na existência das criaturas microscópicas observadas por Leeuwenhoek. No entanto, Robert Hooke, Curador de Experimentos da Royal Society, reproduziu os experimentos utilizando seus próprios microscópios e corroborou as observações e descobertas de van Leeuwenhoek. Essas cartas e os experimentos foram publicados no periódico Philosophical Transactions da Royal Society.

Por isso, o dia 17 de setembro foi escolhido para celebrar o grande impacto dos microrganismos e a sua variedade. Essa data nos relembra que a microbiologia, desde o seu início, é um campo de pesquisa colaborativo. Ela envolve a cooperação internacional; troca de relatos, reprodutibilidade de experimentos, revisão por pares e publicação desde 1683.

A Federação das Sociedades de Microbiologia Européias (Federation of European Microbiological Societies, em inglês ou FEMS), a Academia Européria de Microbiologia (European Academy of Microbiology, em inglês ou EAM) e a Sociedade Portuguesa de Microbiologia estão trabalhando para estabelecer que o dia 17 de setembro seja o Dia Internacional do Microrganismo, uma celebração anual da microbiologia.

Sobre os autores deste blog

O FEMS Team, que se baseia em Delft antes e depois da atual pandemia SARS-CoV-2/COVID-19, trabalha nos bastidores para entregar a FEMS 2020-2024 Strategy.

Esse post do blog foi traduzido para o português pela Maria Bonatelli e Tatiana Pinto do FEMS Volunteers’ Translation Team.

Sobre essa sessão do Blog

A sessão #MicrobiologyIsEverywhere reconhece que a microbiologia não conhece fronteiras, bem como o fato de que os microbiologistas estão em toda parte e que a nossa rede da FEMS se estende muito além da Europa. Essa sessão do blog aceita contribuições de blogs de excelência traduzidos para o inglês. Histórias regionais com relevância global também são bem-vindas.

Do you want to be a guest contributor?
The #FEMSmicroBlog welcomes external bloggers, writers and SciComm enthusiasts. Get in touch if you want to share your idea for a blog entry with us!
Share this news